domingo, 17 de maio de 2009

CASADOS, MAS ETERNOS NAMORADOS




Certa vez, ouvindo uma palestra sobre casamento, o preletor exemplificou o tema com a seguinte história:

“Um casal há muito havia perdido o romantismo entre eles.
Então, o marido, em uma atitude ousada, chegou em casa e disse à sua esposa:

‘Querida, amanhã trarei à nossa casa um convidado muito especial. Quero que você vista a sua melhor roupa. Quero, também, que deixe a nossa casa um brinco. E não se esqueça de preparar uma comida bem especial’.


No dia seguinte, a mulher, apressadamente, arrumou toda a casa, deixando-a completamente limpa e cheirosa. Preparou uma comida bem saborosa.

Logo depois se preparou, vestindo a sua melhor roupa.
Enfim, ela estava linda!


No horário marcado, o marido chegou e tocou a campainha.
Ela, com os olhos brilhando, foi logo abrir a porta para ver quem era o tal convidado.
Porém, teve uma surpresa: do lado de fora estava somente o seu marido. Ela foi logo perguntando:
‘Onde está o tal convidado? Fiz tudo o que você pediu para nada? Ele não veio?’


O marido abaixou a cabeça e entristecido disse:
‘O convidado especial sou eu, meu bem! Ou não significo mais nada para você? Veja quanto tempo estamos casados e você nunca mais se arrumou assim para mim e nem mais preparou um prato especial para me esperar?’


Naquele instante, o silêncio pairou entre os dois e os olhares de um para outro diziam mais que palavras.”


Esta é uma história bem simples, porém significativa e nos deixa uma grande lição: o cuidado mútuo entre os cônjuges deve ser cultivado a cada dia.

Quantos casais não sabem mais o que é namorar ou o que é sair de mãos dadas? Parece papo de pré-adolescentes apaixonados. Não, não mesmo.

E se engana quem pensa assim, pois o romantismo não é privilégio restrito aos casais mais jovens, pois cada idade tem o seu esplendor e o coração jamais envelhece.


O romantismo é um dos pilares de sustentação do casamento, que, infelizmente, há muito vem sendo negligenciado.

É triste dizer, mas o que mais vemos hoje são casamentos de “fachada”, aqueles que mostram uma felicidade aparente para a sociedade, entretanto, entre quatro paredes, o clima entre o casal é outro.


É interessante observar que no período de namoro é fácil colocar o romantismo em prática.

Presentes pra lá e pra cá, elogios, bilhetinhos e cartas de amor, palavras de incentivo, demonstrações de carinho e afeto.


No entanto, depois de casados, muitos casais parecem desaprender as diversas linguagens do amor.

Começam as cobranças, as trocas de ofensas, as irritações constantes por causa de pouca coisa.


O romantismo cede espaço para o desgaste do relacionamento.

Com o tempo, marido e mulher perdem o desejo um pelo outro.

Assim como este marido da história teve a idéia de surpreender a sua esposa, fazendo-a refletir sobre o que estava acontecendo entre eles, da mesma forma precisamos ter força de vontade para investir no casamento.


Há quanto tempo você não diz “Eu te amo” para o seu cônjuge?

Talvez, nos últimos anos, você tenha se dedicado mais a outras coisas como trabalho, amizades, jogar bola, sair sempre sozinho e, principalmente, subtraindo o tempo que você teria para dialogar com seu cônjuge e filhos pelas infinitas horas em frente à TV.


Um bom diálogo também faz parte do romantismo.
Em seu artigo “Nossa casa: lar ou pensão?”, da Revista Lar Cristão (Vol. 1, Nº 4), Willian Féres, que além de médico endocrinologista atua, com sua esposa, Rute Nery Féres, na área de casais, fala da comunicação entre os cônjuges:

“Um bom parâmetro para saber como está a comunicação, é verificar se você pode chamar sua esposa e filhos de amigos”.

Nesse caso, o autor se referiu aos maridos. Porém, a frase também serve para as esposas.


Não importa o mau tempo e nem o passar dos anos.

Em Deus tudo se renova.

O romantismo independe de uma data especial para ser colocado em prática. Por isso, transforme o seu “Dia do Nada” em uma data para lá de especial.

Curta o seu cônjuge.

Os resultados serão surpreendentes.

Experimente!


Por Ana Paula Costa


Site:lagoinha.com

7 comentários:

  1. Que bom que conseguiu expandir o texto. Eu mesma cada vez que utiliso esse método, verifico se está funcionando, pois tbm me enrrolo toda. Bj.

    ResponderExcluir
  2. Amiga, tem um brinde para vc. Procure em Brindes.Bj.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por me acompanhar
    adorei o texto

    ResponderExcluir
  4. Oi...
    Ganhei um selo no meu blog,e como você é uma das leitoras/e publicadora também resolvi te homenagear com ele.
    E só clicar no link e seguir as instruções.

    http://make-it-better-everybody.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá Cassandra!
    É isso mesmo que ocorre.Precisamos estar atentos para que o casamento não perca o romantismo.Como uma planta ele precisa ser cultivado.

    Beijinhos de luz!

    ResponderExcluir

OBRIGADA POR SUAS PALAVRAS!!!